Laboratório Cultural recebe terceira noite do EncontrArte

Por: Carlos
carlos@minasdeideias.com.br

   Mariah da Penha apresentou sua performance “Levando a Vida no Cabelo”

Para a terceira noite do EncontrArte 2015, foi escolhido outro espaço alternativo, o Laboratório Cultural, localizado no bairro Califórnia. A performance “Levando a Vida no Cabelo”, da atriz, produtora e arte-educadora Mariah da Penha fez o público não só aplaudir e se emocionar, mas também dançar, desfilar e até sair do teatro com os cabelos diferentes. Isso porque Mariah levou duas estilistas de cabelos crespos para dividir o palco com ela. Cláudia Talitah, especializada em tranças e Vera Mathias, em turbantes, ficaram à disposição do público para confeccionar penteados.

“A equipe do EncontrArte é de uma coragem, profissionalismo e perseverança exemplar. Produzir um espetáculo já é difícil, imagina para eles que produzem um monte. E há tanto tempo. Veja só, ano que vem o festival vai debutar. E eu estarei aqui para bailar valsa junto com eles, porque adoro essa turma”, declarou Mariah da Penha.

A performance de Mariah é voltada para a valorização da cultura afro e consequentemente, ao fortalecimento da autoestima das pessoas negras. “Assumir seus cabelos crespos é uma atitude política. Ir a um salão afro é uma postura diante da vida, da sociedade. Não é fácil nem barato. O cabelo do negro consome muitos produtos, é caro. Mas manter a autoestima vale a pena”, desenvolve a atriz.

Durante o espetáculo são contadas histórias que reportam às lutas do povo negro por afirmação e liberdade. “A questão do preconceito é institucionalizada, como se fossemos invisíveis. Então, vamos valorizar nossa cultura. É assim que revertemos essa situação. Incentivar e fortificar as produções locais é a nossa meta”, afirma ela.

Para o idealizador do Laboratório Cultural, Rômulo Sales, a noite de ontem representou o fortalecimento de uma parceria que tem tudo para dar certo. “Mais que uma parceria, aqui estamos criando uma aliança, trabalho e amor à arte. Só temos a aprender com essa turma do EncontrArte. Temos seis anos de laboratório e eles já tem 14 anos de festival. Esse grupo luta e trabalha para que tenhamos políticas públicas para a nossa cultura. Estamos com eles, hoje essa parceria está só começando”, afirmou.

O vereador Carlos Ferreira (PT), que esteve presente no evento não só aplaudiu como participou fazendo perguntas à artista. “O EncontrArte é uma benção para a nossa região, foi um presente para a Baixada Fluminense. É o encontro de pessoas que fazem bem à nossa cidade e alimentam a nossa região com tanta beleza cultural”, afirmou. E disse mais: “A Baixada Fluminense é uma região muito rica e viva, que respira cultura. Uma cultura, por vezes, não muito valorizada. Este festival, que é o maior encontro de artes cênicas desta região, eleva a Baixada, faz com que as potencialidades dos artistas daqui apareçam. Esse encontro formou plateias e estimulou a vida artística da cidade”.

A noite também contou com a presença da atriz Sônia Lima, do grupo “Misturando História”, de alunos do Colégio Estadual Califórnia e do grêmio estudantil do Colégio Milton Campos.

Mostra “E Aí? EncontrArte Artes Integradas” – Hoje e amanhã a programação será intensa. Foi montada uma estrutura na Via Light para abrigar a mostra “E Aí? EncontrArte Artes Integradas”, que vai levar, a partir das 19h de hoje, vários coletivos culturais da Baixada a apresentarem shows de música, performances, artes visuais, cênicas, literatura, fotografia, entre outros. E, amanhã a diversão começa às 10h. Terão brinquedos, distribuição de doces para as crianças e um show, às 16h, da autora do livro “Fazer um bem”, Bia Bedran.

Fotos: Alziro Xavier

 

_DSC8718-baixa

 

Sem comentários ainda

Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário