Emoção e muito samba no encerramento da 13a edição

Por: Bernadete Travassos
bernadete_travassos@yahoo.com.br

CTO, Milton e Amir no palco

CTO, Milton e Amir no palco

Eve Penha  vibrou quando recebeu o troféu

Eve Penha vibrou quando recebeu o troféu

Muita emoção marcou o encerramento da 13a edição do festival de teatro EncontrArte, que aconteceu na frente, no quintal e no teatro do Complexo Cultural de Nova Iguaçu na noite de sábado, 27 de setembro. A alegria não precisou atravessar o mar, apenas o portão que separa o espaço da rua, onde os atores da Cia de Artes Cênicas se transformaram na escola de samba EncontrArte com o mestre-sala Neguinho do Fubá, Cidadão Samba da cidade, e a porta-bandeiras Victoria Jesus dançando com a bandeira com o símbolo do evento.

No palco montado na rua Getúlio Vargas, o suingue  do Batuque 18 fez o público, artistas, técnicos e quem passava pelo local remexer as cadeiras ao som de sambas-enredo, axé  e outros ritmos tocados como samba. E o rei momo Castrinho e a Rainha da Escola de Samba Leão de Iguaçu, Luciana, disseram no pé. A atriz Eve Penha, de Duque de Caxias, o diretor Amir Haddad,  o Centro do Teatro do Oprimido (CTO) e Augusto Boal ( in memoriam) foram homenageados.

Milton Gonçalves, que representava a diretora do Sindicato dos Artistas e Técnicos do Estado (Sated/RJ), chorou quando os curingas do CTO Janaína Santos e Alessandro Conceição lembraram de sua ligação com Augusto Boal, com quem iniciou a carreira no Teatro de Arena, em São Paulo, no final da década de 1950.  Alessandro chamou Milton e Amir Haddad  para irem ao palco quando o Centro recebeu o troféu  acompanhado de integrantes do coletivo que mantém na comunidade da Maré. ” Amir está na luta conosco pelo teatro que vai até a população”, salientou.

Depois da inauguração da exposição Retratos do EncontrArte no Complexo Cultural, o público foi convidado para  a homenagem à atriz Eve Penha, que  agradeceu os pais  e parabenizou os realizadores do evento.”Vocês se preocupam em homenagear os artistas enquanto estamos vivos”, salientou ela, que estava acompanha de seu atual grupo, Companhia de Arte Popular, com Beto Gaspari e Pedro Lajes, exceto Cesário Candy, que não pode comparecer.

Em seguida, Marcão Baixada, intérprete da música tema do EncontrArte, fez a plateia balançar com suas canções que misturam o hip hop com o funk. Dudu de Morro Agudo, do Movimento Enraizados, foi prestigiar Marcão e conheceu o festival.  Amir Haddad, que dá nome ao teatro do grupo FAMA, em Nova Iguaçu, ressaltou que todos têm na arte a possibilidade de redenção.

“Somos todos artistas e só precisamos harmonizar o nosso mundo interior  para combater a violência. Somos capazes de nos expressarmos com liberdade. Cumprimento os organizadores do EncontrArte e desejo que ele cresça muito, porque quando a gente não sabe a quem a gente quer honrar é porque o país não está bem”, concluiu Amir, sendo muito aplaudido.

Secretário de governo, Tiago Portela representou o prefeito Nelson Bornier e garantiu que o EncontrArte é maior que Nova Iguaçu e que a Baixada. ” Nossa parceria vai durar por muito tempo proque eles levaram cultura e arte para as comunidades, para as praças e isso é fundamental”, afirmou Portela, acrescentando que as crianças e adultos assistiram, choraram e se emocionaram com os espetáculos.

Gerente da Petrobras, Regina Studart  também recebeu um troféu. Estavam presentes também os artistas plásticos Antônio Filipak e Neusa Dantas e a secretária de cultura de São João de Meriti, Fernanda Braga. O EncontrArte contou, durante os últimos cinco dias,  com 14 estagiários dos cursos de Produção de Eventos e de Administração do Senac, que pela primeira vez participaram de uma vivência artística na Baixada Fluminense. O Senac mantém esse convênio também no Copacabana Palace, Sheraton e outras produtoras de eventos no Rio.

 

Fotos de Marcele Pontes

Sem comentários ainda

Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário